Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado de Mato Grosso

Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Mato Grosso

Mato Grosso - Brasil

Cooperativas de MT

Busca de Cooperativas de MT
Acessar

Intranet

Usuário:
Senha:
Acessar
RAMO CRÉDITO
As Cooperativas de Crédito e o BC
Novo processo administrativo

Por Amílcar Barca Teixeira Júnior

As Cooperativas de Crédito e o BC

 

No dia 7 de junho de 2017, a Medida Provisória (MP) n. 784, que dispõe sobre o processo administrativo sancionador na esfera de atuação do Banco Central do Brasil (BCB) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), entrou em vigor. Em sua exposição de motivos, é apontado que as medidas trazidas pela nova regra vinculam-se ao esforço contínuo do Governo Federal para robustecer o marco regulatório aplicável ao Sistema Financeiro Nacional (SFN).

A Administração Pública explica que o marco legal se revela necessário para enfrentar com eficiência os desafios impostos pelas transformações sociais, econômicas e tecnológicas por que passa o mundo atual, caracterizado por transações econômicas progressivamente mais complexas e por instituições financeiras mais interdependentes e competitivas, tanto no plano nacional, quanto no internacional.

De forma preliminar, o art. 2º da MP indica como seus destinatários as instituições financeiras, as demais instituições supervisionadas pelo BCB e os integrantes do Sistema de Pagamento Brasileiro (SPB). Além delas, sujeitam-se à norma as pessoas físicas ou jurídicas que exerçam, sem a devida autorização, atividade sujeita à supervisão ou à vigilância do BCB, que prestem serviço de auditoria independente para as instituições.

Especificamente quanto às pessoas físicas, estão submetidas às disposições da nova MP quem atue como administradores, membros da diretoria, do conselho de administração, do conselho fiscal, do comitê de auditoria e de outros órgãos previstos no estatuto ou no contrato social de instituição sujeita à norma em estudo, bem como os responsáveis técnicos de pessoa jurídica que preste serviço de auditoria independente para instituições financeiras e demais instituições supervisionadas pelo BCB.

Já o artigo terceiro da MP prevê um rol exaustivo e sistematizado de mais de vinte hipóteses de condutas passíveis de punição, ao passo que o artigo quarto elencou como graves as infrações que causem dano à liquidez, à solvência ou à higidez ou assumam risco incompatível com a estrutura patrimonial de pessoa mencionada no caput do art. 2º, bem como as que contribuam para gerar indisciplina no mercado financeiro ou para afetar a estabilidade ou o funcionamento regular do SFN ou do SPB.

Além delas, as ações que dificultem por qualquer meio, o conhecimento da real situação patrimonial ou financeira de pessoa mencionada no caput do art. 2º, afetem severamente a continuidade das atividades ou das operações no âmbito do Sistema de Pagamentos Brasileiro ou causem perda da confiança da população no uso de instrumentos financeiros e de pagamento serão consideradas graves, ainda que não previstas no artigo terceiro.

O BCB poderá impor às pessoas mencionadas no art. 2º, aí incluídos os administradores e membros de conselhos fiscais de cooperativas de crédito, de forma isolada ou cumulativa, as penas de admoestação pública, multa, proibição de praticar determinadas atividades ou prestar determinados serviços para as instituições mencionadas no caput art. 2º, inabilitação para atuar como administrador e para exercer cargo em órgão previsto em estatuto ou em contrato social de pessoa mencionada no caput do art. 2º e de cassação de autorização para funcionamento.

Do rol de penalidades, é notória a alteração do parâmetro para a imposição da pena de multa, uma vez que anteriormente ela se limitava ao valor de R$250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais) e, agora, segundo o inciso II do art. 7º da MP, seu valor máximo pode chegar a R$2.000.000.000,00 (dois bilhões de reais). O limite máximo para a aplicação da pena de inabilitação, por sua vez, permaneceu em 20 (vinte) anos.

É importante observar, no que se refere às medidas coercitivas e acautelatórias, que o BCB poderá determinar o afastamento daqueles que atuem como administradores, membros da diretoria, do conselho de administração, do conselho fiscal, do comitê de auditoria e de outros órgãos previstos nos estatutos sociais de cooperativas de crédito, antes da instauração ou durante a tramitação do processo administrativo sancionador, quando estiverem presentes os requisitos de verossimilhança das alegações e do perigo de mora.

Há que se destacar o termo de compromisso, disposto nos artigos 12 a 16, como uma novidade relevante para o processo administrativo sancionador no âmbito do SFN. A partir da vigência da MP, o BCB, em juízo de conveniência e oportunidade e com vistas a atender ao interesse público, poderá deixar de instaurar ou suspender, em qualquer fase que preceda a tomada da decisão de primeira instância, o processo administrativo destinado à apuração de infração cujo cumprimento lhe caiba fiscalizar.

Para tanto o investigado deverá assinar termo de compromisso no qual se obrigue a cessar a prática sob investigação ou os seus efeitos lesivos, a corrigir as irregularidades apontadas e indenizar os prejuízos, quando for o caso e a cumprir as demais condições que forem acordadas no caso concreto.

A novel MP também estabeleceu a possibilidade do acordo de leniência, situação em que o BCB poderá celebrá-lo com pessoas físicas ou jurídicas que confessarem a prática de infração às normas legais ou regulamentares cujo cumprimento lhe caiba fiscalizar, com extinção de sua ação punitiva ou redução de um terço a dois terços da penalidade aplicável, mediante efetiva, plena e permanente colaboração para a apuração dos fatos, da qual resulte utilidade para o processo.

Ademais, a MP instituiu o Fundo de Desenvolvimento do Sistema Financeiro Nacional e Inclusão Financeira, de natureza contábil, cujas receitas e despesas integrarão o Orçamento Geral da União, com o objetivo de promover a estabilidade do sistema financeiro e a inclusão financeira, por meio de atividades e projetos do Banco Central do Brasil.

Não se pode deixar de notar que, apesar do rigor trazido pela MP n. 784, esta pode ser considerada a grande oportunidade de o cooperativismo brasileiro, nomeadamente o de crédito, por intermédio de suas representações nacionais, apoiadas pelos parlamentares da FRENCOOP, promover alterações na legislação que possibilitem a diferenciação do tratamento destinado às cooperativas em relação às demais instituições financeiras, especialmente os bancos. Nunca é tarde para reafirmar que cooperativa de crédito não é banco!

 

Amílcar Barca Teixeira Júnior. Advogado em Brasília. Pós- Graduado em Gestão de Cooperativas pela Universidade de Brasília – UnB. Pós-Graduado em Direito Tributário pelo ICAT / UDF – Brasília – DF. Consultor Jurídico do Sicoob Planalto Central. Advogado de várias cooperativas singulares no DF/Brasil. Ramos: Trabalho, Crédito, Saúde, Educacional, Agropecuário, Transporte. COAUTOR dos seguintes livros: Participação de Cooperativas em Procedimentos Licitatórios, Cooperativas de Trabalho na Administração Pública, Cooperativas de Trabalho e o Termo de Conciliação Judicial AGU / MPT, Comentário ao Regulamento de Licitações e Contratos do Sistema “S”; Contribuições Previdenciárias à Luz da Jurisprudência do CARF, Tributação das Cooperativas à Luz da Jurisprudência do CARF, Direito Tributário e Educação. AUTOR do livro: Cooperativas Financeiras Aspectos Jurídicos e Operacionais Coletânea de Pareceres e Artigos. Membro e Professor do Instituto Brasileiro de Estudos em Cooperativismo – IBECOOP. Coordenador das Coletâneas Cooperativismo e IBECOOP da Editora Vincere – Brasília – DF. Foi conselheiro da 2ª Seção do CARF- Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda (Custeio Previdenciário), antigo Conselho de Contribuintes. Foi conselheiro da 2ª Câmara de Julgamento (CAJ) do Conselho de Recursos da Previdência Social – CRPS (Custeio Previdenciário). Foi Consultor Jurídico e Superintendente da OCB e do SESCOOP NACIONAL. Foi Superintendente da OCDF – Organização das Cooperativas do Distrito Federal e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Distrito Federal – SESCOOP – DF.

 

 

 

 


Confira também:
20.06.18 09h41 » Experiência alemã pode contribuir com Ramo Agro
20.06.18 09h38 » Nestlé lança novo laboratório no Brasil
20.06.18 09h36 » Coopema vence Concurso Artístico Cultural
20.06.18 09h35 » Especialização em Gestão de Cooperativas
20.06.18 09h25 » Unimed Cuiabá lança aplicativo
19.06.18 09h43 » Aumento do consumo e das exportações
19.06.18 09h41 » Elevação gradativa de temperaturas
19.06.18 09h35 » ACI realiza estudo sobre cooperativas de jovens
19.06.18 09h32 » I.COOP curso de Governança Cooperativa
19.06.18 09h32 » Sicredi lança sua conta digital
18.06.18 10h27 » Sicredi participa do Ciab FEBRABAN 2018
18.06.18 10h23 » OCB se manifesta sobre atuação no mercado de seguros
18.06.18 10h06 » Unicred atinge R$ 5,2 bi nas operações de crédito
18.06.18 09h56 » 7º Encontro do Programa A União Faz a Vida
15.06.18 09h50 » Sicoob vence Prêmio Efinance 2018
14.06.18 10h49 » Sicredi triplica atuação na Semana Enef
14.06.18 10h48 » Evento “Elas no Campo 2018” será realizado dia 15
14.06.18 10h45 » Temer sanciona PLC 16/2018
14.06.18 10h43 » Equipe de voleibol movimentou a Coopema
14.06.18 10h42 » Conab prevê 2ª maior colheita de grãos do Brasil
14.06.18 10h38 » Cooperfibra recebe visita da CEO´s Global e Brasil da UPL
14.06.18 10h37 » Cooperativas de algodão recebem recursos do Proalmat
13.06.18 10h27 » Temer assina decretos que modificam regras do setor de mineração
13.06.18 10h23 » Governo abre inscrições para premiação de iniciativas voluntárias
12.06.18 09h54 » Cooperativas de crédito dão lições ao mercado
12.06.18 09h50 » Consumidor moderno 3.0
12.06.18 09h47 » Feiras internacionais 2018
11.06.18 09h56 » Marca do Dia C 2018 ilustra bilhete de loteria
11.06.18 09h54 » Sescoop e CNPQ prorrogam inscrição de projetos
08.06.18 11h09 » Medidas provisórias dos caminhoneiros
08.06.18 09h43 » Sescoop/MT cria Comitê de Ética
08.06.18 09h40 » Sistema OCB/MT realizará AGE
08.06.18 08h43 » Sicredi Celeiro participa da feira AgroShow
08.06.18 08h40 » Coopernova divulga ‘Leite a Pasto’ na AgroShow
08.06.18 08h36 » Cooperativas de MT são destaque em episódio do SomosCoop
07.06.18 11h26 » Novo Diretor Executivo da Sicredi Central Centro Norte visita sede da Sicredi Univales MT/RO
07.06.18 10h16 » Concurso Fotográfico ‘Simples Cidade’ do Sicredi
07.06.18 10h06 » Governo anuncia R$ 194,3 bi para a próxima Safra
07.06.18 10h00 » Sicredi lança filme sobre Dia dos Namorados
07.06.18 09h49 » Sicoob lança o aplicativo Yoou
06.06.18 10h18 » OCB avalia impactos positivos da prorrogação do CAR
06.06.18 10h05 » Unimed Cuiabá capacita seus psicólogos
06.06.18 09h46 » Dia Internacional do Cooperativismo
05.06.18 10h35 » Quais as etapas de plantio de uma pastagem?
05.06.18 10h22 » Pedagogia da confiança
04.06.18 14h22 » Sicredi já premiou 144 associados
04.06.18 14h16 » Agropecuária cresceu 1,4% no 1º trimestre do ano
04.06.18 14h14 » Unimed Cuiabá participa de Ação Global
04.06.18 14h06 » Sicredi já beneficiou mais de 229 mil alunos
04.06.18 14h03 » Exportação de cafés diferenciados atinge 1,78 milhão de sacas



Eventos


» Leite a Pasto
    18-06-2018 às 08:00
» Especialização em Gestão de Cooperativas - Turma 18
    29-06-2018 às 08:00
» Pós Pecuária Leiteira
    05-07-2018 às 08:00

Videos



Galeria de Fotos


 

"Cooperativismo. Você participa. Todos crescem."